Sem Messi e Luis Suárez, Arda Turan, Neymar e Munir comandaram o ataque do Barcelona contra o Athletic Club de Bilbao. No segundo dos três jogos entre os dois times, deu Barcelona outra vez. Depois da goleada do fim de semana, os culés voltaram a dominar e vencer os bascos, só que agora em pleno San Mamés.

A reedição da final da Supercopa da Espanha de 2015 começou bem diferente do jogo daquele então. Na época, o Barcelona foi goleado no estádio San Mamés e acabou perdendo o título para o Athletic. Tudo indica que nesta eliminatória da Copa do Rei da Espanha a coisa será bem diferente.

O Barcelona arrancou as quartas de finais derrotando os bancos por 2×1. Munir, o artilheiro do clube na competição foi o responsável por abrir o placar. O guri marcou aos 18 minutos, colocou o Barcelona na frente e chegou aos 5 gols na competição. Logo depois dele, foi a vez de Neymar – um dos jogadores mais odiados pela torcida do Athletic – ampliar o placar. O brasileiro fez o 2×0 aos 24 minutos do primeiro tempo.

Mesmo com os dois gols de vantagem, o Athletic não abaixou a cabeça e foi para cima. Tanto tentou que aos 44 minutos do segundo tempo conseguiu. Aritz Aduris fez o gol que devolveu algo de esperança aos bascos. Daí para adiante, o Barcelona caiu na teia do clube bascos e quase teve que engolir o empate. Mas não deu para o Athletic.

Com o resultado o Barcelona deixa o San Mamés com vantagem, mas sem estar já nas semifinais da Copa do Rei da Espanha 2015/16. Apesar da vitória, os culés terão que receber um Athletic esperançoso no Camp Nou e com ganas de chegar às semifinais de uma competição que costumam se dar bem. Teremos um bom jogo de volta na próxima semana!.

COMPARTIR
Jornalista, gaúcha e apaixonada por futebol espanhol. Em Madrid desde 2011, edita o Efeito Fúria especialmente para os loucos por futebol espanhol que querem acompanhar tudo que acontece na Espanha.

DEIXE UM COMENTÁRIO

Escreva seu comentário
Please enter your name here

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.