A geração mais vitoriosa da história do futebol espanhol foi eliminada da Copa do Mundo de 2014 ainda na segunda rodada da fase de grupos. A seleção espanhola, que já haviam sido derrotada pela Holanda na primeira rodada, perdeu por 2×0 para o Chile e abandonou prematuramente a Copa do Mundo.

 

Explicações, motivos, culpados. Quem acompanha o futebol está até agora tentando encontrar um explicação para o ocorrido. Muitos apontam Vicente del Bosque, outros questionam os jogadores. A verdade é que não há um motivo claro para a atual campeã deixar a Copa logo na primeira fase, no segundo jogo. A renovação da Fúria pode ser a mais forte delas, mas também não foi só isso.

 

Del Bosque levou quem tinha de melhor e alguns como agradecimento. Se tivesse deixado de fora os nomes que já não estão para uma Copa, talvez a história teria sido outra. Ou não. A derrota por 5×1 logo na estreia abalou a Fúria, que fisicamente já não estava bem. A eliminação foi a soma dos problemas físicos e, logo, dos psicológicos.

 

Não vale a pena criticar, afinal todos sabemos que é o fim de uma era. O término de um ciclo. O adeus de uma das melhores seleções da história do futebol. Que nos fez desfrutar de um jogo bonito, que há muito não era visto. Que deu a um país em crise momentos de profunda alegria nestes últimos 6 anos. É o fim de uma era e um novo recomeço para a seleção espanhola. Agora é hora de refletir, de fazer mudanças e de estruturar o futuro. Afinal, mais Eurocopas e Copas do Mundo virão.

 

Gracias a la Roja por los últimos seis años, los amantes del fútbol hemos disfrutado muchísimo.

 

Espanha eliminada Copa 2014
Capa do jornal Marca

 

COMPARTIR
Jornalista, gaúcha e apaixonada por futebol espanhol. Em Madrid desde 2011, edita o Efeito Fúria especialmente para os loucos por futebol espanhol que querem acompanhar tudo que acontece na Espanha.

DEIXE UM COMENTÁRIO

Escreva seu comentário
Please enter your name here

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.