A Seleção Espanhola foi à Copa do Mundo de 1966 na Inglaterra como uma das mais fortes. Após conquistar sua primeira Eurocopa em 1964, a Fúria possuía todas as credenciais para fazer uma grande Copa, mas não foi assim.

 

A Copa de 66 foi a oitava edição do torneio. A Inglaterra, por tantos anos reivindicando um mundial no ‘país do futebol’ finalmente sediou a competição. Dezesseis seleções se classificaram para este mundial:

  • 10 europeias – Inglaterra, Itália, Alemanha Ocidental, Hungria, Suíça, Portugal, França, União Soviética, Bulgária e Espanha;
  • 5 americanas – Brasil, Argentina, Chile, Uruguai e México;
  • 1 asiática – Coreia do Norte.

 

A grande novidade deste mundial foi a seleção portuguesa, que contava com o “Pantera Negra”, Eusébio, um dos melhores jogadores daquela década. O Brasil, atual bicampeão foi a decepção da Copa. Os jogadores brasileiros sofreram muitas faltas, na época ainda não existiam os cartões, e a seleção foi eliminada na primeira fase, após perder para a Hungría e para Portugal. O campeão mundial de 1966 foi a Inglaterra. A seleção de Bobby Moore e Gordon Banks venceu a Alemanha na final em um jogo super polêmico. A seleção inglesa venceu por 3×2 com um gol que não entrou. Uma das eternas polêmicas do futebol.

 

Espanha na Copa de 66
Espanha na Copa de 66

 

A Espanha se classificou para a Copa do Mundo após vencer a Irlanda na eliminatórias. O Mundial foi transmitido em tempo real para todo o país e os espanhóis estavam confiantes em sua seleção. Viajam para a Inglaterra: Jose Iribar, Antonio Betancourt, Miguel Reina (pai do Pepe Reina), Manuel Sanchis, Eladio, Feliciano Rivilla, Severino Reijia, Fernando Olivella, Adelardo, Luis Del Sol, Zoco, Jesus Glaria, Luis Suárez, Gallego, Pirri, Jose Ufarte, Amancio, Marcelino, Francisco Gento, José Maria Fuste, Joaquin Peiro, Carlos Lapetra ; e o treinador José Villalonga. A Fúria cai no grupo 2, com Alemanha, Argentina e Suíça. Na primeira partida, a primeira derrota, 2×1 para a Argentina. No segundo jogo, um respiro, vitória por 2×1 contra a Suíça. No terceiro jogo, um tudo ou nada contra a Alemanha, outra derrota, 2×1 para a Alemanha. Mais uma eliminação da Fúria na história das Copa dos Mundo.

 

COMPARTIR
Jornalista, gaúcha e apaixonada por futebol espanhol. Em Madrid desde 2011, edita o Efeito Fúria especialmente para os loucos por futebol espanhol que querem acompanhar tudo que acontece na Espanha.

DEIXE UM COMENTÁRIO

Escreva seu comentário
Please enter your name here

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.