A crise chegou com tudo no futebol espanhol. Não me refiro a Barcelona e Real Madrid, mas aos clube que há alguns anos ainda era competitivos. Valencia, Sevilla, Athletic de Bilbao e até o Atlético de Madrid (que está fazendo um grande campanha) importavam muito mais do que exportavam.

A necessidade de pagar dívidas para manter o clube e o bom momento da seleção espanhola levaram muitos jogadores a sair da Espanha. O país que mais recebe jogadores espanhóis é a Inglaterra. Atualmente são 32 os espanhóis atuando na primeiro divisão do campeonato inglês.

Os 32 jogadores espanhóis na Premier

  • Liverpool – José Enrique, Iago Aspas, Luis Alberto
  • Chelsea – Fernando Torres, Juan Mata, César Azpilicueta
  • Arsenal – Mikel Arteta, Ignasi Miquel, Santi Cazorla, Nacho Monreal
  • Manchester United – David De Gea
  • Manchester City – David Silva, Javi García, Jesús Navas, Álvaro Negredo
  • Tottenham – Roberto Soldado
  • Sunderland – Carlos Cuéllar
  • Swansea City – Ángel Rangel, ‘Chico’ Flores, Michu, Pablo Hernández, José Alberto Cañas, Alejandro Pozuelo, Jordi Amat, Álvaro Vázquez
  • Norwich City – Javier Garrido
  • West Ham – Adrián San Miguel
  • Aston Villa – Antonio Luna
  • Stoke City – Marc Muniesa
  • Everton – Joel Robles, Gerard Deulofeu
  • Crystal Palace – José Campaña
COMPARTIR
Jornalista, gaúcha e apaixonada por futebol espanhol. Em Madrid desde 2011, edita o Efeito Fúria especialmente para os loucos por futebol espanhol que querem acompanhar tudo que acontece na Espanha.